O novo paradigma dos transportes fluviais: embarcações electro-solares

Não é teima nem cisma, é a mais pura das verdades. Os transportes marítimos e fluviais a combustíveis tradicionais têm os dias contados. Não só porque o planeta assim o exige, mas também porque o seu custo vai tornar-se incomportável para os seus proprietários. O futuro passa, inevitavelmente, por embarcações electro-solares.

Esta variável é ainda mais significativa se estivermos a falar de operadores turísticos ou de transporte que aportam uma utilização muito mais intensiva aos barcos, quer de rio, quer de mar.

Nada faz mais sentido do que apostarem em força em embarcações electro-solares. As travessias dos rios Tejo, Sado, Douro ou Minho, ou mesmo os transportes fluviais de passageiros turísticos na ria Formosa ou em barragens como por exemplo o Alqueva, Castelo de Bode ou Montargil, terão de se modernizar e atualizar, para bem de todos.

A água é um bem precioso a salvaguardar e preservar!