Questões Gerais

Questões Gerais

Conheça as respostas para algumas das mais pertinentes questões sobre Barcos Solares

A pergunta até pode ser pertinente, à primeira vista. Mas, atente-se bem nas especificidades do país onde temos a sorte de viver para pensar duas vezes. A verdade é que, em Portugal, um barco solar tem bastante mais horas de utilização do que em países do centro ou norte da Europa, como a Alemanha, a Áustria ou a Suíça.

Portugal é um país que tem cerca de 2.900 horas de sol por ano. Estas caraterísticas fazem com que o investimento num barco solar seja ainda bastante mais rentável.

Rentabilizar ao máximo a utilização de um barco solar

Esta é mais uma razão para investir num Sunsailer 7.0. Durante o inverno, para contornar as marés vivas, pode optar por fazer excelentes passeios de barco nas inúmeras albufeiras, lagos e rios espalhados por todo o país, aproveitando os soalheiros dias que caraterizam o inverno português.

Dessa forma, é possível navegar a custo zero em meses em que tradicionalmente não é rentável fazer-se à água, o que torna o investimento num barco solar ideal para operadores turísticos. Qual o hotel que não gostaria de proporcionar aos seus visitantes da Europa do Norte um relaxante passeio num barco solar em pleno mês de janeiro?

Uma aposta ganha à partida

Seja cliente individual ou empresarial, a aposta num barco solar é ganha à partida. A rentabilização que permite obter, com poupanças extremamente significativas em combustível, aumentando ainda as horas de navegação, fazem do investimento num barco solar uma aquisição quase sem risco.

Esta aposta segura permite usufruir de todas as vantagens de um barco solar, amortizando o investimento em pouco tempo e desfrutando de uma navegação sem igual, independentemente de estar no mar, num rio ou lago, numa albufeira ou em qualquer barragem espalhada pelo país.

Um barco solar move-se a energia recolhida diretamente do sol. Com recurso a motores elétricos e baterias recarregáveis através de painéis solares e células fotovoltaicas, os barcos solares permitem reduzir substancialmente ou eliminar o recurso a combustíveis fósseis.

Um barco solar transforma energia solar em movimento. Amiga do ambiente, a energia solar é uma excelente alternativa para fazer andar barcos de vários tipos, desde pequenas embarcações de lazer até navios e ferry-boats. Passageiros e meio-ambiente beneficiam do modo de funcionamento de um barco solar.

Quais os maiores benefícios de um barco solar?

Além de ser extremamente silencioso, um barco solar não emite fumos, quase não tem vibração, não emite gases com efeito de estufa e não polui a água. Segundo vários especialistas, poderemos estar perante a maior revolução tecnológica na indústria náutica desde o advento do vapor.

Os painéis solares são sistemas que produzem energia a partir da luz do sol. Apresentam, por isso, inúmeros benefícios.

Benefícios sem igual de um barco solar

Manutenção – altamente fiáveis e fáceis de manter, os barcos solares são extremamente simples de verificar e manter. Os painéis solares são construídos para absorver impactos, vento forte e ciclos de frio-calor imprevisíveis. Os sistemas de painéis solares de um barco solar conseguem produzir energia sob todas as condições atmosféricas. Em dias nublados, produzem cerca de 80% da sua energia potencial. Mesmo em dias sem sol podem produzir cerca de 25% da sua capacidade máxima

Impacto ambiental – o impacto ambiental de um barco solar é praticamente nulo. Os painéis solares não queimam combustível e não têm partes amovíveis. São limpos e silenciosos e não produzem emissões atmosféricas ou gases com efeito de estufa, que são prejudiciais para o planeta.

Modulares – é fácil adaptar o número de painéis de um barco solar, quer em termos de dimensão, quer em termos de aplicações. Os painéis de um barco solar podem ser concebidos em qualquer tamanho, como resposta às necessidades energéticas do equipamento. Além disso, podem ser alargados e movidos com muita facilidade.


Foi no final de Outubro de 2018 que, após votação em Comissão, as alterações ao artigo 233.º-A, nomeadamente o aditamento ao Estatuto dos Benefícios Fiscais, foram aprovadas. Foi aditado ao EBF, o artigo 59.º-J e aprovados os benefícios fiscais para a aquisição de barcos solares.

É uma vitória da ecologia, da proteção do meio-ambiente e do progresso. De acordo com a nova redação,  «na determinação do lucro tributável dos sujeitos passivos de IRC que exerçam a título principal uma atividade comercial, industrial ou agrícola, bem como na determinação dos rendimentos empresariais e profissionais dos sujeitos passivos de IRS com contabilidade organizada, são considerados em 120% do respetivo montante os gastos e perdas do período de tributação relativos a depreciações fiscalmente aceites de elementos do ativo fixo tangível correspondentes a embarcações eletro-solares ou exclusivamente elétricas.»

Finalmente, incentivos à compra de barcos solares

Esta era uma aspiração antiga e faz todo o sentido que surja numa altura em que as alterações climáticas causadas pelo aquecimento global se fazem sentir de forma cada vez mais vincada. Os barcos solares podem ser, indubitavelmente, uma arma para combater este flagelo.

O executivo teve a coragem de agir no sentido certo e de promover a aquisição de transportes movidos a energias limpas e ecologicamente sustentáveis, como os barcos solares. E essa não é uma vitória pequena. Ganha o país, ganha o mundo, ganha o planeta, mas, sobretudo, ganhamos todos nós.

Barcos solares na rota da redução de carbono

Energia, transportes – incluindo barcos solares – indústria, resíduos, agricultura e florestas são os setores que integram o roteiro para a neutralidade carbónica que foi apresentado pelo Governo no passado dia 4 de dezembro. O objetivo é acabar com as emissões de gases de estufa em 45 anos, com uma redução de 85% a 99% entre 2005 e 2050.

Para atingir esta meta, o Ministério do Ambiente e da Transição Energética elaborou um conjunto de medidas e metas para várias áreas de atividade, de modo a fomentar o abandono dos combustíveis fósseis e, assim, promover a eletrificação através de energias verdes, nomeadamente barcos solares.